Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Páscoa - 2020

Páscoa - 2020

Páscoa - 2020

“... transformai-vos pela renovação da vossa mente!” Romanos 12.2a
“Ele não está aqui, mas ressuscitou!” Lucas 24.6a

É chegada a Páscoa. Tempos de festa, celebração, esperança e com a expectativa de confraternização! A Páscoa, seja ela na compreensão judaica ou cristã, é sinal de mudança e transformação de realidades.

Neste ano, porém, mais do que nunca, em função da pandemia da COVID-19, precisamos refletir nossa maneira de pensar e encarar a vida e seus diversos desdobramentos. Uma palavra muito forte, nem sempre lembrada é metanoia. O que vem a ser Metanoia? Metanoia=meta (além, depois) + nous (razão, mente ou entendimento), no seu sentido original significa expandir, mudar o próprio pensamento, incluindo o reconhecimento de que o pensamento anterior era inferior, errado ou mau. Mudança radical para o bem e para a fé que nos faz viver para a justiça.

Nesse sentido, a Páscoa é a metanóia, ou seja, a expansão do amor de Deus, da nova aliança por intermédio da morte e ressureição de Jesus Cristo. Celebramos a Páscoa da transformação do coração e da mente, da passagem para outro estilo de vida; do certo, justo e verdadeiro! Um pensar e realizar que sejam livres, afetivos e solidários com a humanidade. Páscoa é ser imitador do Cristo Ressurreto e presente, ao lado de cada ser humano, principalmente nestes tempos de crises profundas, ansiedades, medos e temores, angústias e depressões.

A Páscoa exprime a força do “mudar-se”, enfatizando novas decisões a partir do pensamento; a decisão mediante a qual o ser humano inteiro se volta para Deus; o redirecionamento de existência, a conversão da vida em contraposição aos sinais da morte.

Portanto, minha gente amiga, vamos celebrar a Páscoa com muita fé e esperança; um espaço para vivenciar transformações de pensamentos e sentimentos. Juntos/as, porém separados/as, somos um “cordão de três dobras”; um ao outro/a encoraja e fortalece no sorriso, no aceno a distância, nos gestos benevolentes, e, sobretudo, na oração intercessória, pois “as orações não são ferramentas para fazer ou obter, mas para ser e tornar-se [...]. No centro da jornada humana, as orações são ferramentas que Deus usa para operar a Sua vontade em nossos corpos e almas e que usamos para colaborar com o trabalho divino em nós” (Eugene Peterson).

Uma Páscoa de transformação e renovação a todos e todas! Feliz Páscoa!

Pastor Antonio Augusto de Souza
Coordenador das Pastorais Escolares e Universitárias